Ontem conversei com uma pessoa que respeito muito e que passa por um grande problema com um membro de sua família e ela me perguntou: até onde eu devo ir? Eu posso desistir do outro?

 

Essas duas frases me renderam muitas e muitas horas de reflexão!

 

Nós precisamos entender que é necessário agir, pensar bem nas atitudes que teremos e observar os resultados que colhemos mas, sinceramente, no final se você não acreditar naquilo que não pode ver, naquilo que não pode explicar e naquilo que não pode entender, de nada adianta.

 

Qualquer relacionamento, seja ele de amizade, de grupos de corrida, família, conjugal não é como a matemática, felizmente!!!

 

Existem vários caminhos a seguir como não julgar, amar incondicionalmente, mas acredito de verdade que, se você acredita que tudo, tudo mesmo, que dependia de você falhou está na hora de entregar e esperar.

 

Eu não posso mudar o outro, somente a mim mesmo!

 

Muitos de nós são como sementes frágeis, que precisam de muito adubo e muita água pra começarem a sair da terra e se sentirem fortes para virem pra luz, pro mundo. Outros são como cactos, que nascem em qualquer lugar e precisam de quase nada de água.

 

E eu creio que é nisso que reside toda a beleza do ser humano, SOMOS ÚNICOS!

 

Não adianta nos compararmos com o rendimento do outro, com o treino do outro, com o tempo do outro! Se eu não estiver atento às minhas necessidades, aos meus limites, aos meus sonhos eu também não consigo respeitar o momento do outro.

 

Portanto, NUNCA desista de você! Nunca desista do outro. Milagres acontecem todos os dias para aqueles que acreditam.