Muito se fala hoje em inteligência emocional mas, você sabe o que é isso?

 

Daniel Goleman, no livro Inteligência Emocional, a define como sendo: a capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos.

 

Esse conceito nos mostra que ter inteligência emocional não se refere a conhecimentos intelectuais e científicos, mas em como reconhecemos os nossos sentimentos e como lidamos com eles e com as emoções que eles trazem à tona.

 

Segundo Goleman: "Quem tem inteligência emocional geralmente é confiante, sabe trabalhar na direção de suas metas, é adaptável e flexível. Você se recupera rapidamente do estresse e é resistente", disse ao Huffington Post o psicólogo Daniel Goleman, autor de "Focus: The Hidden Driver of Excellence" [“Foco: O Motor Oculto da Excelência”]. "A vida corre muito mais suavemente se você tiver boa inteligência emocional."

 

Para que fique mais fácil identificar se temos ou não inteligência emocional seguem alguns tópicos:

 

1 – Você consegue observar o seu próprio comportamento?

 

Por exemplo, nas situações cotidianas, se algo te deixa muito chateado, você consegue parar e pensar a respeito dos sentimentos e emoções que surgiram daquela situação? Você consegue entender o porque ela impactou a sua vida e, acima de tudo, consegue mudar de atitude percebendo que o resultado não foi bom?

 

2 – Você tem domínio das suas emoções ou elas definem o seu dia?

 

Muitas vezes somos impulsivos quando estamos tomados por uma emoção ou sentimento mas, se o sentimento não é bom provavelmente o resultado também não será. Uma das técnicas usadas é a respiração, isso mesmo, antes de tomar uma decisão tomada por impulso respire por várias e várias vezes, se acalme e pense em todos os possíveis resultados que isso trará para sua vida. Após fazer isso muito provavelmente a sua atitude será diferente.

 

3 – As emoções negativas fazem parte da natureza humana então, aprenda a lidar com elas.

 

De nada adianta negar o sentimento ou as emoções, alguns sentimentos farão parte de nossa vida num momento ou outro, como tristeza, medo, raiva, insegurança e, está tudo bem. Deixe o sentimento vir e faça as pazes com ele, sinto o que for necessário sentir e perceba qual é a origem dele, em que parte do seu corpo ele se manifesta, onde dói. Negar o sentimento só vai faze-lo tornar-se cada vez maior.

 

4 – Autoconhecimento é uma das mais poderosas chaves que temos.

 

Se eu sei quem eu sou, se acredito no que sou capaz de fazer, se reconheço minhas habilidades e meu potencial eu venço os obstáculos e problemas com muito mais facilidade. É necessário ser honesto consigo mesmo! Reconhecendo as suas habilidades e as suas fraquezas é possível potencializar as coisas nas quais já somos bom e melhorar as que não somos. Segundo Goleman. "Se você sabe em que é realmente eficaz, pode operar a partir dessa confiança".

 

Uma pessoa com inteligência emocional é alguém que se sente à vontade seguindo sua intuição, diz Goleman. Você ouve a sua voz interior? Acredita quando ela lhe diz o melhor caminho a seguir?

 

5 – Calce o tênis do outro!

 

Isso se chama desenvolver o sentimento de empatia! Ante de julgar, criticar, falar do que o outro está fazendo é necessário que eu entenda toda a história de vida dele, como foi tratado pelos pais, em que acredita, como vive e, principalmente, se eu vivesse a vida que ele vive, como eu me comportaria?

 

"A curiosidade expande nossa empatia quando conversamos com pessoas de fora do nosso círculo social habitual, encontrando vidas e visões de mundo muito diferentes das nossas", escreveu Roman Krznaric, autor do livro "Empathy: A Handbook For Revolution" [“Empatia: Um Manual para a Revolução”], em seu blog Greater Good.

 

Cada um de nós tem uma trajetória e momentos que são essenciais para o nosso aprendizado portanto, não julgue!

 

6. Respeito e aceitação

 

Já falei várias vezes aqui que muito embora sejamos filhos de um mesmo Pai, cada um de nós tem qualidades e características únicas, bem como limitações e falhas. Quando reconheço as minhas forças e fraquezas também passo a respeitar as limitações do outro, desenvolvendo o respeito, solidariedade e valorização do próximo e passo a desenvolver relações saudáveis.

 

7. Tenha foco eliminando fatores de distração

 

Para que possamos atingir um maior aproveitamento de tudo que estamos realizando, é necessário ter foco. Mas o que é foco? Ë a convergência de energia em um único ponto de cada vez. Isso significa que, se estou no trabalho eu elimino outros pensamento e me dedico 100% a esse momento. Se estou em casa com a família eu me desligo das outras coisas e me faço 100% presente. Isso é foco! E agindo assim desenvolvemos o mais alto nível de inteligência emocional.

 

Em resumo, Daniel Goleman diz que as cinco principais características da inteligência emocional são: habilidades sociais, empatia, autoconsciência, motivação e autorregulação.

 

Portanto, reconhecendo minhas habilidades e fraquezas, calçando o tênis do outro, aceitando, respirando e controlando meu estado emocional, ouvindo minha intuição, consigo melhorar meu relacionamento comigo e com os demais em qualquer área de minha vida.