A concentração nada mais é do que nossa capacidade de voltar à atenção exclusivamente para estímulos relevantes à atividade que estamos realizando. É uma habilidade psicológica fundamental para corredores de rua se considerarmos as características dessa modalidade esportiva.

 

A corrida é um esporte individual, no qual na maior parte do tempo o corredor está apenas na companhia de seus pensamentos. É um esporte marcado pela repetição de movimento, necessidade de foco na coordenação motora para correr adequadamente, controle da dor, etc. E embora tais questões ocorram tanto com corredores de menores distâncias quanto com corredores de longa distância, quanto maior a distância percorrida mais elas estarão presentes. Um maratonista, por exemplo, que passa boa parte de seus treinos realizando rodagens, e treinos de longa duração ficará muito tempo a mercê de seus próprios pensamentos e diálogos consigo mesmo.

 

Nesse sentido, saber direcionar a própria atenção se torna imprescindível para obter sucesso nos treinamentos e competições. E embora muitas vezes pareça que a concentração é algo automático, ou em outras palavras, que já nascemos com essa habilidade, na verdade ela requer constante aprimoramento. Isso significa que ela é uma habilidade construída, e, portanto, merece tanta atenção quanto, por exemplo, uma habilidade física, sendo necessário também ser treinada diariamente.

 

Um primeiro ponto a ser considerado para treinamento da concentração é aprender a direcionar o foco a partir de uma perspectiva positiva. Isso significa que é necessário conseguir focar a atenção em questões que ajudem, que estejam sob controle e que possam ser usadas para proporcionar melhorias, em vez de voltar os pensamentos para questões negativas. Por exemplo, em um treino longo, seja de intervalados ou rodagem, em vez de focar no quanto de distância ou tempo ainda falta para finalizar o treino, é possível focar em tudo que já foi concluído. Em vez de voltar os pensamentos para o cansaço que se está sentindo, se esforçar em corrigir a coordenação motora, otimizando o movimento a ser realizado.

 

O quadro a seguir ilustra esses exemplos:

 

EM VEZ DE PENSAR ...

TENTE PENSAR...

Ainda faltam X quilômetros para terminar”

Eu já fiz X quilômetros”

Estou cansado (a)”

Vou me concentrar em otimizar minha coordenação e então economizar mais energia”

Está difícil”

Já fiz muito até aqui, posso continuar e no final serei grato por ter conseguido”

É impossível realizar esse treino”

Se eu der um passo de cada vez posso conseguir/ Vou fazer quilômetro por quilômetro e aos poucos chegarei ao fim”

 

Vale ressaltar que mesmo quando o foco não é melhorar o desempenho pessoal também é importante ter uma boa concentração. Nesse caso, essa habilidade psicológica será crucial para conseguir obter o desejado bem-estar na prática. Assim, é importante conseguir ter a percepção sobre o que é prazeroso durante a corrida, seja a companhia de um amigo, os tipos de treino que gosta, o prazer da superação, etc., voltando o foco para tais questões em vez de gastar a energia pensando no quanto é difícil ou cansativo.

 

Além da perspectiva positiva, a concentração também envolve a atitude e comprometimento diante do que se quer realizar. Uma ferramenta para ajudar nesse sentido é o estabelecimento de objetivos diários, isto é, antes de iniciar o treino refletir sobre o que se deseja alcançar ao final dele, seja fazer determinada distância em determinado tempo, corrigir algum detalhe da coordenação motora, atingir o estado de bem-estar, etc. Mas é importante que o objetivo estabelecido esteja dentro da realidade, isto é, seja possível de ser alcançado e se enquadre em um equilíbrio de ser desafiador e ao mesmo tempo viável. Essa reflexão proporcionará um norte a ser seguido durante a corrida, diminuindo espaços para eventuais distrações, e consequentemente potencializando a concentração.

 

Outra questão que favorece a concentração à medida que não deixa espaço para distrações é o estabelecimento de rotinas. Assim, treinar em dias e horários habituais contribuirá para que o corpo e o psicológico se acostumem com a prática da atividade bem como se preparem para fazê-la, o que é muito mais difícil se os treinos são realizados sempre em dias e horários diversificados. E conforme o físico e o psicológico não são “pegos de surpresa” ficará mais fácil se concentrar.

 

Uma atitude simples e que também ajuda é estabelecer rotinas pré-treino, o que significa fazer determinadas coisas que ajudem o psicológico e o físico a entrarem na atividade que será realizada. Por exemplo, ouvir música, chegar ao local de treino com alguns minutos de antecedência, relaxar tentando esvaziar os pensamentos ou por meio de uma respiração mais profunda e lenta, ou ainda, aproveitar para refletir o que se deseja na corrida que será iniciada e como isso será alcançado.

 

Melhorar a concentração durante a corrida potencializará a qualidade dos treinos bem como o alcance dos objetivos pessoais, seja você um corredor profissional ou amador. A chave para isso consiste primeiramente em saber que essa é uma habilidade a ser construída, requer esforço diário, e faz parte da preparação psicológica esportiva realizada por psicólogos do esporte. Além disso, é importante lembrar que todo corredor de rua está sujeito a distrações e obstáculos, mas o que fará a diferença é o foco que se dará a eles, em outras palavras, o quanto você é capaz de controlar a sua concentração.