O Projeto Art&Vida da cidade de Colorado no Paraná, que trabalha o atletismo e cidadania com crianças de várias idades, é sem dúvida um dos mais bonitos e bem sucedidos da nossa região. Um trabalho sério, que tem dentre seus objetivos formar atletas e principalmente formar cidadãos de bem.

 

Sempre que acompanhamos (na região) provas com modalidades infanto/juvenil, observamos que os atletas do projeto são destaque, levam muito a sério a competição e estão sempre colocando o nome de Colorado no pódio (Muitas vezes no lugar mais alto do pódio). E tudo isso é graças as pessoas que acreditam e apoiam o projeto, é graças ao trabalho incansável de seus idealizadores.

 

Nos últimos anos eles resolveram romper as barreiras do estado e partiram para competições na capital Paulista, ou melhor, na versão infanto/juvenil da mais famosa prova do país, a corrida de São Silvestre, no caso, a corrida São Silvestrinha.

 

Assim, abrimos aspas para o nosso correspondente eucorropontocom, Luciano de Andrade.

 

 

Idealizada pelo superintendente da Gazeta Esportiva, Júlio Deodoro de Souza, a São Silvestrinha nasceu em 1994 como proposta de ser a versão infanto-juvenil da mais importante prova de rua da América Latina, a Corrida Internacional de São Silvestre. Ao longo desses anos, o evento tem cumprido com os seus objetivos. De forma lúdica, desperta o interesse dos jovens pelo esporte, para a disciplina e para o exercício prático de cidadania.

 

O Projeto Art&Vida de Colorado coordenado pelo Rodrigo Moia e por mim, como diretor técnico vem nos últimos cinco anos participando deste evento trazendo para nossa região muitos resultados expressivos, neste ano foram três troféus nas categorias à partir da categoria de 2003, para as categorias menores não há premiação devido ao caráter lúdico do evento. As categorias e distâncias da prova começam com os atletas de seis anos, nascidos em 2011 com a distância de 50 metros e vai até a categoria de 17 anos, ou ano de 2000 que percorrem a distância de 800 metros.

 

Esse ano o Projeto Art&Vida levou 23 atletas para participar do evento, como somente acima da categoria 2003 há premiação os atletas que conquistaram troféus foram: Camily Temporine Alves Campeã Categoria 600 metros (2002), Laysa Souza Cruz Vice campeã categoria 600 metros (2003) Vinícius Machado Salvadego Campeão Categoria 600 metros (2003). A organização da prova tem uma estrutura muito boa de suporte como estafes, ambulância, um belo kit para as crianças no final da prova e local com pipoca, algodão doce.

 

A entrega de kits é um pouco limitada, pois se dá somente no sábado de manhã das 09:00 ao 12:00, poucas horas antes da prova que se inicia as 13:30, porém se mostrou rápida e eficiente. Quando as baterias começam, as crianças ficam alvoroçadas esperando seu momento de fazer o melhor, há muitos sorrisos e choros também com os resultados bons e ruins, pois querem mostrar aos pais que são bons.

 

Em minha avaliação da prova, vejo que ela não é muito divulgada, visto a realização ser em São Paulo e cerca de 70% dos participantes são atletas de fora de São Paulo, ou seja, há pouca adesão da cidade para esse evento. As baterias são um pouco desorganizadas, colocando duas crianças por raia nas categorias menores e nas maiores por exemplo, em uma bateria de 600 metros fizeram uma largada única com 23 atletas, neste caso poderiam ser duas largadas. A prova começou as 13:30 debaixo também de um sol escaldante e terminou as 16:30 já com todos os atletas premiados.

 

Um fato interessante para mim sobre essa prova é que em 1996 meu irmão Marcelo participou deste evento em sua 3° edição eu o acompanhei neste dia pois no outro dia corri a São Silvestre.

 

Luciano de Andrade - Diretor Técnico do Projeto Art&Vida

 

 

 

O Projeto Art&Vida poderia muito bem ser chamado de Fênix, pois muitas vezes o pouco que eles conseguiram construir em nível de estrutura de treinamento, foi roubado e destruído por vândalos. Mas eles são brasileiros, não desistem nunca e sim...ressurgem das cinzas.

 

Se você pensa em investir, patrocinar ou simplesmente ajudar o atletismo em sua categoria de base, está aí um grande projeto. O projeto que é arte...que é vida!