Bem vindo(a) a eucorro.com!

Novidades


DOMINGO, 23 DE OUTUBRO DE 2016

Simone Takinami uma Vencedora!




Neste mês de outubro onde o mundo se veste de rosa na luta contra o Câncer, temos a honra e o privilégio de mostrar a história de vida de uma mulher lutadora, guerreira e vencedora. Mesmo passando por muitas adversidades e grandes obstáculos na vida, Simone Takinami enfrentou a luta contra o Câncer, saiu vencedora e encontrou na corrida o lugar para ser Feliz.

Assim, o nosso espaço hoje abre as portas para mostrar sua história de vida e assim chamar a atenção diretamente, para a realidade atual do câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce. Abrimos aspas para nossa guerreira:

Minha história na corrida inicia após três episódios marcantes nesses meus 42 anos de vida. Iniciei no esporte com o vôlei, em 1986, aos 11 anos de idade, na Acel, e em 1989 passei a defender o Canadá Country Clube. Naquela época, minha baixa estatura era compensada pela impulsão, facilitando a prática desse esporte que exige uma estatura bem mais alta que a minha. Nessa época, mais precisamente em 1995, minha mãe faleceu.


Simone Takinami - Amplie
Simone Takinami
O episódio que marcou a minha mudança de vida foi um acidente ocorrido numa fábrica de borracha, no Japão, no dia nove de julho de 2004, véspera do meu aniversário de 30 anos. Um curto no sistema de segurança fez com que a prensa fechasse antes da hora. Meu abençoado e amigo Dr. Nilton Takaoka, ortopedista, atendeu-me e me acalmou, pois não restava outra alternativa senão amputar a mão.

Foram 28 dias internada, 4 cirurgias e quase um ano em tratamento (queimaduras e trauma), até que retornei para Londrina no dia quatro de julho de 2005. O meu maior receio era ter que lidar com o preconceito das pessoas. Nunca me senti inferior a ninguém, vejo esse acidente como um obstáculo que foi superado.

Por força das circunstâncias, deixei o vôlei que amava e iniciei no tênis de mesa. Estava bem até descobrir que minha amputação não era aceita por menos de 10cm para eu ser paratleta, não pude competir. Foi um banho de água fria nas minhas pretensões, mas não desisti. Mesmo não tendo as mesmas condições que outros atletas, participei de campeonatos paranaenses e brasileiros e, com minhas limitações, claro, não no nível das atletas da minha categoria. Mas para que ter medo, não é?

Como a vida sempre nos reserva surpresas! Desde 2007 fazia acompanhamento preventivo e numa dessas consultas de rotina detectaram CA no início. Um choque, mas não me preocupava comigo, preocupava-me mais com as pessoas que me rodeavam. Como contar? Como iriam reagir? Como aguentariam a notícia?

Minha mastologista, Dra. Isabella Spironelli, juntamente com o Dr. Yoshihico Ito, cirurgião plástico, sua esposa, Dra. Tania Anegawa (minha prima e onco, hemato, pediatra), e a Dra. Laura Moreira (oncologista) assistiram-me de uma maneira fantástica, fato que tornou meu tratamento menos traumático. Após a adenastectomia (mastectomia onde preserva-se o tecido da mama), fiz 4 sessões de quimioterapia pesadas, mas superadas!

Em abril de 2013, fui submetida a uma adenomastectomia preventiva na outra mama. E esses fatos como mudaram minha autoestima, meus pensamentos, meu modo de viver, e para melhor, pois nunca lamentei e desistir jamais!!

Após liberação médica, fui procurar um profissional capacitado para acabar com o excesso de peso remanescente da quimioterapia e do sedentarismo, visto que para quem era atleta, parar foi complicado, mas necessário para a plena recuperação.

Sentindo-me recuperada, procurei um local onde pudesse me fortalecer. Foi quando encontrei uma academia bem aconchegante, a Studio Espaço Ativo, com profissionais gabaritados, em especial o que é agora meu amigo e incentivador, Personal Alexandre Souza. Foi nesse ambiente acolhedor que descobri que correr me fazia bem. No começo, foi muito difícil, mas hoje dirijo quase 200km, de Telêmaco Borba (onde trabalho) até Londrina, para treinar!!
Alexandre Souza e Simone Takinami - Amplie
Alexandre Souza e Simone Takinami


Em um treino, brincando, disse que um dia iria correr uma prova, mas nada sério, pois o objetivo não era a corrida, mas atividade para meu bem estar físico e mental! Em abril do mesmo ano, nos meus quase 40 anos, finalizei minha primeira prova de 4km, e não parei mais, a partir de então a corrida entrou literalmente em minha vida, seja a de rua, seja para felicidade, seja para vida. Este ano, 2016, tinha como meta os 10km e graças a Deus e às orientações do meu Personal, Alexandre Souza, e muito suor, foi atingida!!

Provas finalizadas nesses novos desafios e vocês do eucorropontocom eternizaram esses momentos desde a minha primeira corrida.

Não busco classificação, corro atrás de desafios, de metas, de alegria, de saúde, de amizades, de viver intensamente os momentos felizes que vida proporciona!!!

Um fato muito interessante e pitoresco ao mesmo tempo é que em 2014, na minha primeira corrida, fugia das câmeras, usava prótese para correr, hoje sinto que os conheço (os profissionais do eucorropontocom) há tempos. A corrida trouxe de volta a Simone que pôde se libertar e dizer ao mundo: SIM tenho a deficiência, não precisam ter receio ou pena ou dó, sou FELIZ assim e muito mais FELIZ correndo, sou livre!!!! Viver a vida é muito bom, é fantástico!!!

Agradeço a minha família por sempre estarem ao meu lado em todos os momentos e nunca me permitiram desistir em nada daquilo que quisesse atingir.

Simone Takinami - Atleta
É isso aí pessoal, esperamos que este exemplo de vida, toque o coração de todos, principalmente daqueles que passam por alguma adversidade e lhe dê forças para lutar e vencer assim como a Simone.

Simone, que você continue sempre lutando e correndo com o sorriso no rosto e contagiando a todos nós por sua garra e determinação.


 COMENTÁRIOS (1)

Faça seu login no topo da página para enviar seu comentário, se você ainda não é cadastrado clique aqui.
BERTI - FAXINAL
Parabéns Simone!! Emocionante relato...