Em sua edição mais disputada, a 5ª Mizuno Uphill reuniu os campeões da distância 42K das provas anteriores, que viram JOSÉ ERALDO DE LIMA do Clube Ingá de Maringá, subir ao lugar mais alto do pódio e de quebra, sem trocadilho, a quebra de recorde da prova com o incrível tempo de: 3 horas, 7 minutos e 53 segundos .

 

O prêmio em dinheiro oferecido aos vencedores ajudou a elevar o nível da competição, realizada na Serra do Rio do Rastro (SC), atraindo ainda mais os corredores de alta performance. Na categoria feminina, LETÍCIA SARTORIA, da equipiazza de Curitiba conquistou o tricampeonato, fechando a maratona em 3 horas, 35 minutos e 3 segundos.

 

Nem mesmo o calor atrapalhou. "Já tivemos neblina, frio, ventania. Esse ano o dificultador foi o sol. Mas os atletas vieram preparados, tiveram um desempenho excepcional e mais uma vez transformaram a Mizuno Uphill em um grande acontecimento", comemorou Eduardo Oliveira, gerente de marketing esportivo da Mizuno.

 

E para falar de um desafio assim, nada melhor do que o novo campeão e recordista da prova, abrimos aspas para José Erado de Lima.

 

Falar dessa maratona sem mencionar a preparação é impossível, é algo diferente de tudo que já fiz nesses 21 anos como atleta, a começar pela incerteza da minha participação, só aos 45’ do segundo tempo foi que consegui confirmar minha inscrição e nisso restavam pouco menos de dois meses para o grande dia. Pensei muito na especificidade da prova e tracei uma estratégia um tanto arriscada. Aqui em Maringá não há nada que se compare com aquelas subidas, Subir a Nildo? Não, de jeito nenhum, subir 1km e descer 1km não é nada parecido com o que eu teria que enfrentar.

 

Então troquei algumas quilometragens da preparação por pesos na musculação. Foram 40 dias de treino especifico, fiz menos volume de treino em comparação a outras maratonas, foram entre 160 a 170km semanais, no entanto, mantive a intensidade e investi forte no fortalecimento, alguns dias foram três períodos de treino, estava exausto, tanto é que nas últimas duas semanas já estava no meu limite não vendo a hora de soltar o treino para competir...

 

A maratona em si foi perfeita, Deus preparou tudo nos mínimos detalhes, a começar pela viagem, pelo grupo de amigos que nos acompanhou, foi tudo perfeito. Um dia antes quando fui trotar para soltar da viagem percebi que estava bem, estava soltinho e isso me deixou mais confiante e motivado.

 

Somente na hora da largada foi que me deparei com os favoritos da prova, havia mais atletas do que eu tinha imaginado, então como era algo diferente para mim, a minha estratégia era de acompanhar o pelotão e ver no que ia dar, porém, isso só foi possível até o 5ºkm, ao me deparar com aproximadamente 5km de subida ininterruptas e muito íngreme (do 5 ao 9,5km) comecei a sofrer muito e os atletas foram embora, abrindo uma grande vantagem.

 

Pensei comigo, o que estou fazendo aqui? Passou muitas vezes pela minha cabeça que eu não iria conseguir .... Se já no início da prova sofrendo desse jeito, imagina no pé da Serra, faltando 18km, que é quando fica pior. No km 10 da prova tinha um certo descanso, um trecho de descida que me fez renascer na prova, recuperei as posições perdidas e encostei no primeiro colocado. Ali começou a espalhar os atletas, o primeiro vendo que eu encostava, imprimiu um ritmo muito forte e abriu uma vantagem considerável (bem considerável de 5 a 7 min, +/- 2km).

 

Pensei que não iria mais alcança-lo e comecei a me preocupar somente em manter a segunda posição. Chegando no km24 inicio do pé da Serra, as subidas eram assustadoras, praticamente impossível correr, era um paredão com muitas curvas, e um calor insuportável. Alguns momentos tive que intercalar corrida com caminhada. O cansaço era de matar, me sentia fraco e sem forças, entreguei nas mãos de Deus e disse que seja feita a sua vontade, porque eu sozinho já não dou conta. (Momento muito, muito, muito difícil...só lembrava das pessoas que me incentivaram com palavras de motivação, lembrava do meu filho que me acompanhou nos treinos de bicicleta e tentava me apegar a boas lembranças)

 

Foi quando para a minha surpresa no km38 ao entrar em uma reta (subida porém sem curva) avistei o carro madrinha acompanhando o primeiro colocado caminhando, ele caminhava muito devagar e eu conseguia subir trotando ainda, aquilo me motivou e renovou todas as minhas forças, foi quando senti uma emoção muito grande e passei a acreditar que dava para vencer. Senti que Deus me ouviu e estava me dando a chance de ser o campeão, bastava eu aguentar o sofrimento

 

Foi o que eu fiz, imprimi um ritmo (trote forte rsrsrs) e o ultrapassei, ele nem reagiu e me incentivou – "Vai lá, força!"

 

Pela primeira vez, faltando poucos quilômetros comecei a liderar a prova, ao se aproximar de Bom Jardim da Serra (Local da Chegada) a emoção começava a tomar conta, é uma prova muito casca dura até mesmo aqueles que são costumados com sofrimento, sofrem e sofrem muito. Por conta dos degraus da serra (as curvas fechadas) olhei para baixo e vi que o segundo colocado já não me alcançava mais.

 

Faltando 1km as pessoas que estavam assistindo começaram a me informar que daria recorde, fiquei muito, muito feliz, nos metros finais da prova comecei a comemorar e cheguei tomado de emoção. O narrador anunciava meu nome como campeão e com o recorde.

 

Jamais nos meus melhores sonhos pensei que pudesse ser, do jeito que foi, me preparei sim para fazer uma prova e tentar subir ao pódio, agora ser campeão com direito a recorde, somente Deus para preparar essa benção. Não posso deixar de mencionar a emoção e a alegria que foi dividir essa vitória com tantas pessoas que torceram por mim.

 

Agradeço imensamente a todos!!!

JOSÉ ERALDO DE LIMA - Atleta

 

Em seu segundo ano de realização, o Desafio Samurai, categoria que conta com a somatória das distâncias de 42K e 25K, consagrou Fernando Beserra da Silva no masculino e Leticia Saltori no feminino, com os tempos de 5h33m14 e 6h10m34s, respectivamente.

 

A mais desafiadora e desejada prova do Brasil, reuniu cerca de 1500 atletas, divididos nas categorias 42K (900 participantes), 25K (600) e Desafio Samurai 67K (39), que teve novo campeão e quebra de recorde nos 42K: José Eraldo de Lima com o tempo de 3h07m53s.

 

Este ano, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) oficializou o "Permit" nível Prata a Mizuno Uphill Marathon, que passou a oferecer e exigir uma série de requisitos, inclusive, teste anti-doping para os primeiros colocados. "A Mizuno trabalha para tornar a Uphill ainda mais rápida e favorável a novos recordes, levando a prova a um nível de padrão internacional", disse Felipe Gentil, gerente geral da Mizuno do Brasil.

 

Foram cerca de 7 mil pré-inscrições, recorde da Mizuno Uphill. O evento ainda contou com lojas de produtos oficiais e diversas atividades para o público na expo.

 

Pódio Prova Percurso 42km

COL. NOME ATLETA TEMPO
1 José Eraldo de Lima 3:07:53
2 Gabriel Picarelli 3:09:27
3 Fernando Bezerra 3:12:55

 

 

Pódio Prova Percurso 42km

COL. NOME ATLETA TEMPO
1 Letícia Saltori 3:35:03
2 Dione D’Agostini Chillemi 3:36:21
3 Conceição de Maria Carvalho 3:48:41

 

Rei e Rainha da Serra

Masculino

César Gonçalves Moura – 3h19m15s (tempo total) – 1h30m37s (tempo no trecho da serra)

Feminino

Dione D’Agostini Chillemi – 3h36m21s (tempo total) – 1h50m38s (tempo no trecho da serra)

 

Vencedores 25K

Masculino

1º – Nilton Evangelista – 2h01m00s

2º – José Rodrigues dos Santos – 2h0614s

3º – Ademir Pedro da Cruz – 2h11m16s

Feminino

1º – Letícia Saltori – 2h35m31s

2º – Conceição de Maria Carvalho – 2h40m07s

3º – Elida Cordeiro de Oliveira – 2h42m26s

 

Desafio Samurai

Masculino

1º – Fernando Beserra da Silva – 42K (3h12m55s) e 25K (2h20m19s). Total: 5h33m14s

2º – Paulo Sandro Viana – 42K (3h20m06s) e 25K (2h15m9s). Total: 5h35m15s

3º – Renan Alcântara dos Santos – 42K (3h25m35s) e 25K (2h13m06s). Total: 5h38m41s

Feminino

1º – Letícia Saltori – 42K (3h35m03s) e 25K (2h35m31s). Total: 6h10m34s

2º – Conceição

 

 

Créditos das fotos: Rômulo Cruz, Marcelo Maragni, Wladimir Togumi