É muito comum entre os corredores de rua aquela ansiedade no dia da corrida, marcada pelo aumento de tensão muscular, taquicardia, aumento da pressão arterial e frequência respiratória, secura na boca, sensação de fadiga ou fraqueza, bocejo frequente, pensamentos negativos, dentre outros sintomas.

 

No entanto, o que muitas pessoas não sabem é que a ansiedade nem sempre é apenas algo negativo. Quando se fala em ansiedade é importante diferenciá-la de um fenômeno chamado ativação. A ativação refere-se ao quanto nosso corpo está "aquecido" do ponto de vista fisiológico e psicológico. É nesse sentido que a ansiedade pode ser positiva: ela ajudará o corredor a ficar adequadamente ativado para iniciar a corrida. A ansiedade ajuda a preparar o corpo e a mente para a atividade que será iniciada.

 

Por isso, pode-se dizer que um pouco de ansiedade ajuda, e é necessário que o corredor conheça qual o seu estado ideal de ativação, que inclusive varia de pessoa para pessoa. Algumas pessoas se sentem melhor pré-prova quando estão muito ativadas, ou seja, quando, por exemplo, os batimentos cardíacos e fluxo sanguíneo estão mais acelerados, outras funcionam melhor quando estão mais relaxadas. O importante é se perceber e identificar qual estado auxilia mais no momento que antecede a corrida.

 

A ansiedade só é prejudicial em alguns casos, quando se configura em um estado emocional negativo caracterizado por sentimentos de extremo nervosismo, apreensão, e preocupação, associados com a ativação excessiva do corpo. Em outras palavras, a ansiedade só é negativa quando atrapalha de alguma forma. Quando os músculos ficam muito tensos e rígidos a ponto de atrapalhar o movimento, quando a capacidade de concentração fica reduzida, ou ainda quando os pensamentos negativos tomam conta gerando medo, preocupação e potencializando ainda mais os sintomas físicos.

 

A ansiedade negativa tem então um componente somático, que são as alterações físicas, e um componente cognitivo, que são os pensamentos negativos. Mas como controlar essas alterações de forma a evitar sensações desagradáveis e prejuízos no desempenho?

 

Para controle dos sintomas físicos

 

Exercícios de relaxamento.

Exemplo:
fazer uma respiração lenta e profunda em uma contagem regressiva de 10 a 1.

 

Para controle dos pensamentos que geram medo e preocupações

 

Substituir pensamentos negativos por pensamentos positivos, se concentrando em coisas que ajudem.

 

Reavaliar pensamentos de derrota por meio de perguntas que proporcionem reflexão.

Exemplo:
Pensamento: "E se eu não conseguir?" 
Resposta a ele: "O que acontecerá se eu não conseguir? Está tudo bem, eu estou sujeito a isso e se não der dessa vez posso tentar de novo".

 

Permaneça concentrado no presente, e não no que poderia ter sido feito ou no que deveria acontecer. Concentre-se no que está sob controle no momento presente.

 

O controle da ansiedade negativa também se dá durante a preparação para a corrida, ou seja, é importante deixar o treino o mais semelhante possível às condições do dia da prova para melhor preparar o corpo e o psicológico. Assim, podem ser feitas simulações, como testes, correr no horário em que será realizada a corrida, e se possível, no percurso onde ela acontecerá. Também é interessante treinar a adaptação às situações estressantes ou distrações que poderão ocorrer no dia da corrida. Por exemplo, se preparar para correr uma distância diferente do previsto, para mais ou para menos; se preparar para atrasos na largada; dentre outras situações que se previamente pensadas não causarão tanto prejuízo quanto se elas forem uma surpresa.

 

De uma forma geral a ansiedade se torna negativa quando o individuo interpreta uma situação como ameaçadora, há um medo de algo que possa acontecer. O que permeia esse estado emocional é o não se sentir bom o suficiente, situações inesperadas, o medo de errar, o medo de não conseguir, a importância dada à corrida em questão, etc. Por isso, esse estado emocional é controlado à medida que são feitos bons treinos e simulações; ao se recordar de outras conquistas alcançadas; ao substituir pensamentos de derrota por pensamentos positivos e também de auto permissão para não conseguir algo, já que todos estamos sujeitos a isso e também temos capacidade de tentar novamente.

 

Por isso, você corredor de rua que enfrenta o sentimento de ansiedade quando chega a hora da corrida, primeiramente avalie se esse estado emocional é normal e então o encare da perspectiva positiva de que a ansiedade está simplesmente preparando e ativando seu corpo; e caso seja uma ansiedade negativa, utilize algumas das ferramentas mencionadas ou ainda conte com ajuda de um psicólogo do esporte, que trabalhará junto com você de uma forma mais profunda nas causas do problema.